O presidente do Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero) Rodrigo Almeida e o vice, Cleiton Bach, cederam entrevista para o apresentador Chicão Murcia da rádio Transamazônica, na última terça-feira, 20. Na ocasião, os conselheiros comentaram sobre a função da autarquia perante a classe médica e a sociedade, arguiram a respeito do programa do governo federal ‘Mais Médicos’ e apontaram caminhos para descentralizar as ações do Cremero na capital e atender de maneira efetiva o interior do estado.

De acordo com a entrevista concedida pelo presidente e o vice, o Cremero é uma autarquia federal responsável pela fiscalização do setor médico, visando o aprimoramento da saúde no estado em que é vigente, garantindo o benefício da população. Ainda conforme os conselheiros, o Conselho apoia qualquer programa que tenha por objetivo aumentar o acesso à saúde para a população, mas o ‘Mais Médicos’ possui alguns equívocos que ferem os direitos trabalhistas dos próprios intercambistas contratados e ainda não oferece condições dignas de trabalho para os profissionais da saúde no Brasil, o que seria o ideal para a melhoria do setor no país.

Em relação à descentralização das ações do Cremero, os conselheiros foram enfáticos em apontar que o caminho é estar junto ao médico de outros municípios, participando de sua rotina de trabalho e encontros, com o objetivo de criar soluções aos problemas enfrentados por eles nas outras regiões do estado.

Outra questão levantada na entrevista foi a referente aos planos de saúde. Segundo os conselheiros, os principais responsáveis pelos inúmeros problemas enfrentados por quem precisa dos serviços do setor são os próprios convênios, que, muitas vezes, se comprometem a cobrir um tipo de procedimento médico e depois se recusam efetuar o pagamento ao médico que efetivou o atendimento, ou até mesmo uma cirurgia.  

Fonte: Assessoria        

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.