Reunião foi realizada para discutir assuntos referentes à situação alarmante das Unidades de Pronto Atendimento da zona leste e sul

O presidente do Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero), Rodrigo Almeida, juntamente com o tesoureiro, Lhano Fernandes, e com o advogado, Marcos Alves, participou de uma reunião com o secretário de saúde, Domingos Sávio, e seu adjunto, José Carlos Coutinho. O encontro foi realizado nesta terça-feira, 20, na sede da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), para tratar de assuntos referentes à situação alarmante das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da zona leste e sul, que vêm enfrentando problemas com a falta de médicos plantonistas para a realização de atendimento aos pacientes locais.

“Encontramos com o secretário e seu adjunto para saber o que vem sendo feito em relação às UPAs, que se encontram em situação bastante preocupante, pela falta de um número suficiente de médicos plantonistas em um local que deveria conter no mínimo seis atendentes no período matutino e noturno em cada unidade”, ressaltou Rodrigo Almeida.

Na reunião, Domingos Sávio afirmou que abriu a contratação para 60 médicos que deveriam trabalhar nas UPAs, mas que 18 dos chamados não tiveram interesse em trabalhar no local. O motivo levantado pelo secretário seria a falta de segurança das unidades, chegando o plantonista a receber ameaças dos pacientes à procura de atendimento, que esperam por horas para serem consultados e medicados. “A tendência é de melhora. Estamos cuidando dessa questão da segurança, porque o nosso objetivo é colocar seguranças armados nas UPAs e também contar com o apoio do Corpo de Bombeiros, que ficará instalado nas unidades”, disse Domingos.

Outro problema levantado pelo secretário é a questão da superlotação. Conforme Domingos, mais de 200 mil pessoas moradoras de Porto Velho procuram atendimento nas UPAs da zona leste e sul, dado que significa que aproximadamente 50% da população da capital frequentam as unidades para receber serviços médicos.

Mesmo assim, o secretário se comprometeu com os membros do Cremero em colocar oito das 70 equipes de saúde da família do município, divididas entre as duas UPAs, a fim de diminuir a procura por atendimento nas unidades. Outro compromisso firmado frente aos conselheiros foi a locação de ambulâncias nas unidades para aprimorar o atendimento nos locais. Domingos disse que em breve as viaturas estarão à disposição das duas regionais.

Para o vice-presidente do Cremero, Cleiton Bach, a falta de estrutura da atenção básica, com as equipes de saúde da família, leva a uma sobrecarga de doentes nas UPAs e consequente acréscimo da quantidade de atendimentos dos médicos, o que também aumenta a chance de erros e litígios com pacientes, levando ao desinteresse dos profissionais em trabalhar no local. “Este círculo vicioso só acabará quando as equipes de saúde da família estiverem em funcionamento pleno. Isso não diminui a necessidade de segurança e aumento do número de médicos contratados para atender no local, atos que caso não tomados de imediato podem inviabilizar o funcionamento das unidades”, advertiu.

Fonte: Assessoria

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.