Após receber denúncia, sobre a precariedade no atendimento à pacientes do Complexo Maternal do Hospital de Base, em Porto Velho, em especial na UTI Neonatal, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) se reuniu na terça-feira (30) com a Promotora de Justiça, Emília Oiye, afim de buscar uma solução para a grave situação.

Representando o Cremero, participaram da reunião o presidente, Dr. Robinson Machado, o coordenador do Departamento de Fiscalização, Dr. Lucas Levi, e a conselheira, Dra. Andrea Barbieri, juntamente com advogado Marcos Sobrinho.

Durante a reunião foi apresentado a promotora Emília Oiye um relatório da última fiscalização feita, com vários apontamentos feitos, entre eles um quadro de superlotação na UTI Neonatal e falhas em diversos serviços.

Consta que foram criados leitos de forma irregular no Centro Obstétrico, que o médico lotado na UTI Neonatal atende todos os demais setores do Complexo Maternal, além de acompanhar o transporte de exames. Em razão da superlotação, é possível que possa ocorrer dos técnicos em enfermagem não conseguirem atender todos os pacientes.

A promotora tomou conhecimento, ainda, que a UTI Neonatal possuiu um setor de isolamento, mas não funciona em razão da falta de profissionais, que a reforma do Centro Obstétrico está suspensa em razão de problemas com a empresa, e que a atual coordenadora da enfermagem lotada na UTI não possui especialização.

Ao final da audiência, diante dos apontamentos apresentados pelos representantes do conselho de medicina, ficou acordado entre os presentes a necessidade de uma reunião com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesau), com data a ser definida, para que sejam esclarecidas as providências a serem adotadas.

Afim de colaborar no sentido de amenizar o problema da UTI Neonatal, o presidente Dr. Robinson Machado confirmou à promotora Emília Oiye presença do Cremero na próxima reunião. Na oportunidade, quem representará o conselho será a vice-presidente, Dra. Ellen Santiago.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.