Em ato público no dia 17 de agosto, em Campinas (SP), o CFM mobilizará a sociedade para combater o drama do desaparecimento de crianças – que afeta centenas de milhares de famílias brasileiras. Só em São Paulo, em 2014, foram registrados cerca de 15 mil casos e ainda há uma estimativa de que 250 mil crianças ainda estejam desaparecidas no Brasil.

No país são registrados em média 50 mil casos de desaparecimento de menores por ano e o CFM aposta ser possível reverter esta realidade. Por isso, desenvolve uma campanha de conscientização desde 2011 e por meio da Recomendação nº 4/2014, a autarquia divulga medidas para a categoria. O documento do Conselho orienta os médicos a prestarem atenção nas atitudes desses pequenos pacientes: “observar como ele se comporta com o acompanhante, se demonstra medo, choro ou aparência assustada; observar se existem marcas físicas de violência, como cortes, hematomas ou até abusos”. “Acreditamos que os médicos podem ser uma canal para encontrar essas crianças, uma vez que estas podem passar por um consultório”, apontou Jorge Curi, conselheiro federal representante de São Paulo.

O CFM ainda alerta que os médicos peçam a documentação do acompanhante. Conforme a orientação do documento, “a criança deve estar acompanhada dos pais, avós, irmão ou parente próximo. Caso contrário, pergunte se a pessoa tem autorização por escrito”. Além disso, recomenda-se “desconfiar se o acompanhante fornecer informações desencontradas, contraditórias ou não souber as perguntas básicas”.
A atriz Titina Medeiros também está engajada na causa pelas crianças desaparecidas. A pedido do CFM, a atriz gravou um vídeo em que recita as recomendações para ajudar nesta busca. Assista no canal do Youtube da entidade. clique aqui

Fonte: CFM

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.