O Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero), em fiscalização ao Hospital Municipal Amélio João da Silva de Rolim de Moura, interditou, nesta semana, o centro cirúrgico da unidade hospitalar por um prazo de 180 dias, ao constatar uma série de irregularidades.

De acordo com o relatório do conselheiro fiscal, Sérgio Cardoso, as duas salas de cirurgia utilizadas pelo hospital não apresentaram o carrinho de anestesia, imprescindíveis durante a realização de cirurgias. Um estaria quebrado e o segundo estaria em manutenção, aponta o relatório.

A fiscalização também constatou a presença de medicamentos vencidos no carrinho de emergência, também utilizado no ato cirúrgico. A falta de uma equipe completa dentro do centro cirúrgico também foi fundamental para a interdição do ambiente.

“Não constatamos a presença de um enfermeiro, apenas de técnico de enfermagem, o que não é permitido de acordo com a legislação do conselho”, disse Sérgio.

Outros aspectos chamaram a atenção dos membros da fiscalização que foram informados de que médicos e técnicos de enfermagem estariam dormindo em colchões no chão do hospital e alguns, debaixo do lavatório do centro cirúrgico.

O relatório também aponta falhas na estrutura do centro, como a porta de acesso quebrada, o descarte irregular de materiais perfurocortante, que deveriam acontecer em suportes padronizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a verificação de instrumental enferrujados.

Consciente de que a interdição poderá prejudicar a população, o conselheiro fiscal afirma que o Cremero realiza as fiscalizações visando cumprir a legislação em defesa do profissional médico e principalmente da sociedade. “Com a interdição nós estamos evitando um mal ainda maior, tanto para quem trabalha ali dentro como para os usuários, por exemplo, infecções e até óbitos”, disse o médico.

O Hospital Municipal Amélio João da Silva, além de Rolim de Moura, também atende pacientes vindos de Cacoal, Ministro Andreazza, Alta Floresta, Chupinguaia, Espigão do Oeste, Santa Luzia, Alto Alegre e do município de Rondolândia, no Mato Grosso.

O Cremero informa que se o hospital apresentar as devidas adequações para o bom desempenho da medicina previsto na legislação federal antes do prazo previsto, a desinterdição será realizada logo após a averiguação das medidas tomadas pela unidade hospitalar.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.