Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Cremero participa do I Fórum de Médicos de Fronteira

forumcfm1O evento, que aconteceu neste último dia 21 de junho, na sede do Conselho Federal de Medicina (CFM) em Brasília, também contou com a participação do presidente e vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero), Dr. Cleiton Bach e Dr. Andrei Leonardo.

Dentre os diversos assuntos abordados, destacaram-se a questão da atuação dos profissionais da medicina e também da migração destes profissionais para estas áreas que fazem fronteiras com outros países, como também questões referentes a validação de diplomas e formação dos profissionais na América Latina.

A coordenadora da Comissão de Integração de Médicos de Fronteira, Dilza Terezinha Ambrós Ribeiro apresentou, juntamente com o presidente do CFM, Dr. Carlos Vital Tavares, os principais desafios enfrentados pelos médicos que atuam nestas regiões. São exatos 15,7 mil quilômetros de fronteiras, onde vivem mais de três milhões e meio de brasileiros, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Durante o fórum foram apresentados dados alarmantes, que preocupam a classe médica. Dos 122 municípios fronteiriços, 48 não possuem nenhum hospital geral. “Sabemos que não haverá solução para o déficit de médicos em locais distantes caso não haja empenho do governo federal em melhorar as condições de trabalho nestas localidades e implementar uma carreira de estado para os profissionais” destacou Dr. Cleiton Bach.

Em Rondônia, os municípios de Alta Floresta do Oeste, Alto Alegre dos Parecis, Cabixi, Costa Marques, Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Pimenteiras do Oeste, Porto Velho e São Francisco do Guaporé, fazem fronteira com a Bolívia. Destes, a pior situação segundo as últimas fiscalizações do Conselho é encontrada nas cidades de Costa Marques e Guajará-Mirim. “Além da falta de estrutura das unidades, ainda tem o sério problema da falta de médicos. Ainda bem que a população pode contar com o apoio das Forças Armadas nestes locais, pois os municípios não possuem condições de cumprirem com o seu papel de prover a saúde” alertou Dr. Andrei Leonardo.

De um modo geral, durante uma radiografia apresentada no evento, constatou-se que os principais problemas são: falta de leito de internação, postos de saúde, profissionais, laboratórios, aparelhos para diagnósticos, medicamentos, dentre outros. Ao todo, 122 municípios brasileiros fazem fronteira com outros países.

O CFM também apresentou avaliação da situação epidemiológica nestas regiões. A malária, tuberculose e a hanseníase foram algumas doenças apontadas no estudo. Esta última, com maior incidência em Alto Alegre dos Parecis.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia - Cremero © 2018
Sede: Avenida dos Imigrantes, 3414, Liberdade, CEP: 76803-850, Porto Velho – RO, (69) 3217-0500, cremero@cremero.org.br
 Delegacia Regional de Ji-Paraná: Rua 7 de setembro, 1928, Casa Preta, CEP: 76907-624, (69) 3423-3590, delegaciajiparana@cremero.org.br
 Delegacia Regional de Vilhena: Rua Rony de Castro, 4150, jardim América, CEP: 76980-736, (69) 3322-9415, delegaciavilhena@cremero.org.br